FAQ Tech CD

No início do desenvolvimento do produto que iria substituir o CD como mídia de armazenamento e o VHS como mídia para vídeo, foi formado um grupo que iria desenvolver essa nova mídia. Com o avanço do projeto, o grupo se dividiu e surgiram então duas fortes correntes, uma apoiando o padrão DVD-R com gigantes como a Pioneer, e outra apoiando o padrão DVD+R tendo as empresas Philips, Sony, Hewlett-Packard, Dell, Ricoh e Yamaha como mantenedoras. Externamente, eles são semelhantes, exceto pela presença de um fino anel visível na parte de gravação do padrão -R. O produto final, ou seja, o DVD gravado tem as mesmas funções nos dois modelos. O que é importante observar, é qual o padrão é compatível com seu gravador.

Quando surgiram os primeiros DVDs graváveis, eles eram basicamente utilizados como master para replicação, ou seja, a autoração era gravada nesse DVD em gravadores específicos (Pioneer S-201) e enviado para as fábricas replicadoras. Esse tipo de DVD tem alguns protocolos próprios para esse uso, tais como Cutting Master Format (CMF) e a DDP (Disc Description Protocol). Outra diferença importante, é o comprimento de onda do laser utilizado para gravação, enquanto o DVD para autoração utiliza 635nm, o para uso geral utiliza 650nm, o que nos mostra que cada tipo somente pode ser utilizado em seus gravadores específicos. Os gravadores normais que utilizamos hoje em dia somente gravam DVDs para uso geral.

CDs e DVDs comuns não são resistentes à riscos, poeira ou outros danos causados pelo seu manuseio incorreto.Para resolver esse problema, a Imation apresenta um sistema protetor em suas mídias chamado Force-Field. As mídias Imation Force-Field são produzidas com um fino filme protetor colocado na superfície de gravação que protege as mídias contra riscos. Essa proteção também é anti-estática, impedindo o depósito de poeira na sua superfície gravável, o que protege tanto a mídia como os gravadores e leitores. Impressões digitais são facilmente retiradas sem danificar as mídias.

São mídias desenvolvidas pela HP, que permitem a impressão na superfície de CDs próprios (lightscribe Printable), pela sensibilização proporcionada pelo laser dos gravadores, ou seja, a gravação dos dados é feita normalmente, depois coloca-se a mídia do lado oposto, em gravadores próprios, e através de um software, o gravador sensibiliza a superfície da mídia, fazendo a impressão desejada.

A tecnologia de fitas para armazenamento de dados AIT (Advanced Intelligent Tape) desenvolvida pela SONY, é dividida em três grupos:

Modelo Capacidade
AIT – Super
SAIT – 1 500GB – 1300GB
AIT
AIT – 1 25GB – 65GB
AIT – 1 35GB – 91GB
AIT – 2 36GB – 93GB
AIT – 2 50GB – 130GB
AIT – 3 100GB – 260GB
AIT – 4 200GB – 520GB
AIT – Turbo
AIT-E-Turbo 20GB – 52GB
AIT-1-Turbo 40GB – 104GB
AIT-2-Turbo 80GB – 208GB

Algumas mídias saem de fábrica pré-formatadas para gravadores de vídeo de mesa, tais como o DMR-EH50S da Panasonic, ou seja, é só colocá-las no gravador e grava-lás. Já outras, são pré-formatadas para drives de computador, geralmente usada para a gravação de dados, e outras ainda saem de fábrica sem pré-formatação. Um exemplo são as mídias Panasonic LM-HB94LU e LM-AD240LU. Ambas são de 9.4 Gb do tipo IV, ou seja, com cartucho removível, gravam em 3x, porém a primeira vem formatada para dados, e a segunda para vídeo. Caso se queira usar uma mídia pré-formatada para drives de computador em aparelhos de mesa de gravação de DVD, é só reformatá-la e vice e versa.

Uma mídia muito usada para armazenamento de dados é o DVD-RAM. Entre as suas vantagens tecnológicas, podemos destacar a capacidade de armazenamento que pode chegar até 9.4 GB, a possibilidade de inúmeras regravações chegando a 100.000 e a leitura randômica. Uma duvida freqüente dos usuários é quanto ao tipo de cartucho ou a necessidade de usá-lo. Existem 3 tipos de DVD-RAM quanto ao cartucho:

  • Cartucho Fixo;
  • Cartucho Removível;
  • Sem Cartucho.

Devemos consultar a literatura dos drives para saber qual deveremos utilizar. Na tabela abaixo temos os tipos de DVD-RAM quanto ao cartucho e a capacidade.

 

DVD-RAM Cartucho Fixo Cartucho Remomível Sem Cartucho
Tamanho Face Simples Dupla Face Face Simples Dupla Face Face Simples Dupla Face
8cm Type 7
(1.46 GB)
Type 6
(2.92 GB)
Type 9
(1.46 GB)
Type 8
(2.92 GB)
12cm Type 1

(2.6 GB,
4.7 GB)

Type 1

(5.2 GB,
9.4 GB)

Type 2

(2.6 GB,
4.7 GB)

Type 4

(5.2 GB,
9.4 GB)

Type 3

(2.6 GB,
4.7 GB)

Type 5

(9.4 GB)

Existem apenas 2 modelos de fita de limpeza para toda a linha de fitas AIT. A fita de limpeza AIT Cleaning Cartridge, que pode ser utilizada para os drives compatíveis com AIT-1, AIT-2, AIT-3, AIT-E Turbo, AIT-1 Turbo e AIT-2 Turbo, e a fita AIT 4 Cleaning Cartridge para ser utilizada nos drives de AIT-4.

CDs ou DVDs industriais, são aqueles que são embalados em pacotes de 100, 50, 25 ou 10 peças, ou seja, são comercializados sem embalagem individual.

A palavra printable significa imprimível, ou seja, CD ou DVD printables são aqueles que podem ser impressos diretamente por impressoras, não necessitando de etiquetas pré impressas. Existem dois tipos básicos de mídias printables: Ink-Jet Printable, que tem superfície de impressão própria para serem impressos por impressoras com tecnologia jato de tinta, tais como a Primera Signature e a Epson R-200. Thermal Printable, que tem superfície de impressão própria para serem impressos por impressoras com tecnologia térmica, tais como a Rimage Prism Plus e a Primera Inscripta.

Existe sim. A Sony lançou no mercado o HI-MD que armazena 1 Gb. Os leitores precisam ser compatíveis com esse padrão. Não são todos os leitores e gravadores de MD que funcionam com o HI-MD.

Atualmente quase todos os fabricantes de memória USB Flash Drive, também chamadas de Pen Drive, tem modelos com senha. Alguns fabricantes lançaram inclusive um sistema onde se a senha for colocada incorretamente por alguma vezes, ele apaga todo o conteúdo da memória.

Sim. Um DVD-RAM pode ser regravado até 100.000 vezes.

Algumas baterias recarregáveis compostas de determinados materiais, como o níquel-cádmio (NiCd) por exemplo, apresentam um fenômeno chamado popularmente de Efeito Memória. Quando são carregadas sem estarem completamente sem energia, o sistema (Carregador + Bateria), entende que a carga máxima possível é a carga total menos a carga existente. Assim sendo, depois de algumas recargas, só se consegue carregar a bateria pela metade ou até menos.

Não. Os Mini Discs necessitam de aparelhos próprios para serem lidos ou gravados. Vários fabricantes comercializam esses aparelhos. A Sony é o principal deles, por ser o inventor do MD.

Quando se fala em mídias, é difícil afirmar em 100 % que uma mídia irá substituir a outra totalmente. Podemos afirmar sim, que uma nova evolução de mídias ópticas está surgindo. Essa nova geração é formada a principio pelo HD-DVD e pelo Blu-Ray Disc.

O padrão que concorre com o Blu-Ray Disc (BD) para ser o sucessor do atual DVD é o HD-DVD. Esse padrão foi desenvolvido pela Toshiba e pela Nec, e conta com um forte aliado para sua sustentação que são os estúdios de gravação como o Time Warner, Universal e Paramount.

Uma outra vantagem sobre o Blu-Ray, é a de que a mídia poderá ser hibrida, ou seja, de um lado podemos ter o HD-DVD e de outro, o DVD comum, pois o processo de fabricação é uma evolução do processo atual, o que ainda facilita a sua aceitação pelas fábricas.

Uma nova geração de discos de armazenamento óptico está em fase final para o seu lançamento em grande escala, é o chamado Blu-Ray Disc (BD). Ao invés de usar o laser vermelho para ler e gravar como no caso dos DVDs, será usado o laser azul-violeta, que tem um tamanho de onda menor, permitindo armazenar mais informações em uma mídia do mesmo tamanho.

Esse novo padrão terá leitores e gravadores 100% compatíveis com os atuais DVDs e CDs. Empresas como Apple, Dell, Hitachi, HP, JVC, LG, Mitsubishi, Panasonic, Pioneer, Philips, Samsung, Sharp, Sony, TDK e Thomson, já aderiram a esse novo padrão.

Essas novas tecnologias que disputam com os estúdios de gravação a preferência como substitutos do atual DVD diferem tecnicamente e em capacidade de armazenamento conforme a tabela abaixo:

 

 

DVD HD DVD Híbrido Blu-Ray
DVD 5 DVD 9 DVD 14 DVD 18 HD 15 HD 30 HD 45 HD DVD / DVD BD
Cap. (GB) 4.7 8.5 13.5 17 15 30 45 19.7 25 50
Lados 1 1 2 2 1 1 1 2 1 1
Camadas 1 2 2+1 2+2 1 2 3 2 1 2
Laser Verm Verm Verm Verm Azul Azul Azul Verm / Azul Azul Azul
Capacidade SD 2 Hrs SD 4 Hrs SD 6 Hrs SD 8 Hrs HD 4 Hrs HD 8 Hrs HD 12 Hrs SD 4 HD 4 HD 6 Hrs HD 15 Hrs

A primeira ideia que temos sobre a vida útil de um CD é que ele duraria para sempre, mais isso não é verdade. E mais terrível ainda é saber que existem mídias que podem durar pouco mais de 2 anos, ou até menos e que não se consegue recuperar esses dados. A grande procura por preço gera cada vez mais a entrada no país de mídias com baixa qualidade.

No 1º Fórum de Convergência Tecnológica, uma senhora fez a seguinte pergunta aos palestrantes:

– Eu tenho em casa, várias fotografias das minhas avós. Será que os meus netos terão fotografias minhas em CD daqui há 50 anos?
Várias pessoas riram da pergunta, porém a senhora tem toda razão em se preocupar.

Em estudos realizados, foram analisados CDs de vários fabricantes e vários tipos de dye, que é o material orgânico que será alterado pelo laser. Esses CDS foram submetidos a níveis extremos de temperatura e umidade, visando simular a durabilidade por aceleração.

Os resultados nos indicam que dependendo das condições de armazenamento, do tipo de material com que ele é feito (Cyanina, Phithalocyanine ou Azo) e da qualidade desses materiais, os CDs podem durar de 2 à 150 anos.

E como saber que CD estamos comprando?

É uma tarefa não muito fácil mas podemos tomar algumas precauções: Comprar CDs de fornecedores confiáveis. Comprar CDs de marcas confiáveis.

Guardar os CDs em condições ideais de temperatura e umidade, em um ambiente adequado e não expor diretamente à luz do sol.

A TechCD Informática efetua testes em mídias virgens (CDs e DVDs) e gera um gráfico de análise de focus error e track error. Veja ao lado o gráfico de 2 DVDs-R de qualidades diferentes.

Track error analisa o quanto a trilha pré definida foge do ideal. E oFocus error determina o quanto varia a profundidade da trilha ao longo do CD. Esses testes determinam como será trabalhoso para o gravador, gravar essa média e quanto será trabalhoso para o leitor lê-la. Quanto pior esses parâmetros, maior será a incompatibilidade com leitores mais antigos, e maior será o desgaste dos leitores. Portanto, aquela informação de que CD-r estraga os leitores, pode ser verdade quando a mídia virgem for de baixa qualidade.

Devemos concluir que, dependendo da utilização que iremos dar para os CDs e DVDs, tais como armazenamento de fotos, backup de dados, imagens ou quaisquer informações importantes, devemos nos preocupar com a qualidade das mídias.